Como deseja realizar seu cadastro?
As respostas das consultas durante o período de testes serão fictícias, com o propósito único de demonstrar o funcionamento geral da ferramenta.

Cinco Erros Ao Comprar Uma Franquia

9 de junho de 2017

Cinco Erros ao Comprar uma Franquia, que o interessado deve tomar. FIQUE ATENTOOptar por uma franquia parece, aos olhos de muitos novos empreendedores, uma opção segura de investimento. São propostas geralmente vendidas com a chancela de marcas consolidadas, o que não elimina a necessidade de uma boa gestão por parte do novo franqueado, além de cuidados específicos no momento de fechar negócio.

Optar por uma franquia parece, aos olhos de muitos novos empreendedores, uma opção segura de investimento. São propostas geralmente vendidas com a chancela de marcas consolidadas, o que não elimina a necessidade de uma boa gestão por parte do novo franqueado, além de cuidados específicos no momento de assinar o contrato. Com a ajuda de Alexandre Guerra,  vice-presidente da Associação Brasileira de Frachising (ABF) e CEO do Giraffas, o Estadão PME lista a seguir os cinco principais erros que empresários cometem ao adquirir uma franquia.

ESCOLHA

O primeiro fator a ser levado em consideração no momento de fechar contrato com uma franqueadora é o segmento de mercado que o investidor está escolhendo. É um processo semelhante ao de decidir uma profissão:

  • aquele negócio vai acompanhar o empresário por um longo tempo;
  • por isso é importante que haja interesses comuns;
  • “Se a pessoa não gosta de estar dentro de uma cozinha, se não gosta de ter preocupações aos fins de semana;
  • por que ela escolhe abrir um restaurante?”, exemplifica Guerra.

EXPECTATIVA

O oposto a escolher um segmento sem afinidade também está entre os erros mais graves a aqueles que optam por uma franquia:

  1. O impulso, nesses casos, faz com que o empresário decida por um negócio pautado apenas por preferências pessoais;
  2. o que também não é bom;
  3. “Não adianta abrir uma casa de chás só porque você gosta de tomar chá”, crava o vice-presidente da ABF;
  4. “O empresário não pode esquecer de que o negócio precisa ter uma expectativa de retorno, que em muitos casos não está naquilo que ele mais gosta”, comenta.

INVESTIMENTO

Um erro gravíssimo, e generalizado que acontece, é a pesquisa superficial do negócio”, explica Guerra. De acordo com o especialista, antes de colocar suas economias em uma unidade franqueada, é preciso colocar na ponta do lápis todos os tópicos em que o dinheiro vai ser investido. Muitas vezes, haverá gastos posteriores ao contrato inicial e isso deve ser levado em conta. “É preciso ter calma e paciência nesse início e não tomar decisões precipitadas por uma questão de velocidade, de tempo. Conheça o investimento a fundo, e tudo o que está dentro desse investimento. Se são números viáveis, se aquela atividade de mercado tem potencial dentro da localização que o candidato está atuando?”, pondera o CEO.

COMUNICAÇÃO

Falar com outros franqueados de uma rede antes de fechar negócio é uma recomendação seguida por poucos mas, conforme aponta Alexandre Guerra, é de extrema importância e pode definir se o seu dinheiro está sendo bem aplicado naquela unidade. É obrigatório constar na Circular de Oferta de Franquia (COF) o telefone e o email de todos os franqueados de determinada marca, justamente para que eles possam ser localizados por novos candidatos. “Muitas pessoas cometem o erro de fechar o negócio na emoção. Não há nada melhor do que ligar antes para alguém que já esteja dentro daquela rede para saber se ela realmente é viável”, explica Guerra.

O FIM

Existem dificuldades típicas no processo de abertura de uma franquia e na consolidação dessa unidade rumo ao sucesso e para todas elas, a franqueadora deve dar suporte. Porém, um erro comum é o franqueado não conseguir identificar o fracasso daquele negócio em que investiu. Conforme aponta Alexandre Guerra, só há uma saída quando isso acontece: abrir mão. “Quando o investidor estiver em uma situação difícil e sentir que não tem mais poder de mudança dessa realidade, ele tem de procurar uma forma de se desfazer do negócio”, delimita o especialista.

Fonte: Portal do Franchising – ABF

Fale Conosco