Como deseja realizar seu cadastro?
As respostas das consultas durante o período de testes serão fictícias, com o propósito único de demonstrar o funcionamento geral da ferramenta.

Caixa Prepara Fechamento De Agências

Caixa Prepara Fechamento de Agências e abertura de programa de demissão voluntária para 11 mil funcionários, e seu presidente diz que o programa está quase todo pronto.

A Caixa Econômica Federal deve seguir o exemplo do Banco do Brasil e planeja medidas de aumento de eficiência para 2017. O banco público deve fazer um novo programa de aposentadoria incentivada que pode atingir cerca de 11 mil funcionários.

No entanto, o programa não pode ser feito agora porque:

  • a Caixa precisa de R$ 1,2 bilhão para pagar incentivos e direitos;
  • a instituição ainda também estuda a possibilidade de fechar 100 agências que não dão lucro.

“São dois problemas, tem de ter capital para resolver a questão de eficiência para aumentar o capital do banco”, disse o presidente do banco, Gilberto Occhi, após a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. “Por isso, a gente ainda não fez, mas está quase pronto”, completou.

Segundo Occhi:

  1. esses 11 mil funcionários já têm condições de estarem aposentados, mas continuam na ativa;
  2. a saída deles da planilha de custo deve ajudar a Caixa a se enquadrar nas regras de Basileia 3;
  3. as normas entram em vigor em janeiro de 2019;
  4. mas os bancos já devem estar enquadrados 18 meses antes, ou seja, em junho do ano que vem.

Para não depender de um aporte de capital da União, a Caixa tem de:

a) buscar eficiência;

b) e também pretende abrir o capital de duas empresas:

c) a Lotex;

d) e a Caixa Seguridade.

Abertura de capital

Gilberto Occhi disse que o contrato com o BNDES para que comece o tramitar o lançamento inicial de ações (IPO, sigla em inglês) da área de loterias será assinado na sexta-feira. O banco de desenvolvimento será o responsável por dar o real valor do ativo, montar road shows para atrair investimentos e chamar os demais bancos para participarem da operação.

“A ideia é que a operação seja feita no primeiro semestre do ano que vem”, frisou Occhi, que justificou que o processo tem demorado mais do que o estipulado pela diretoria porque os órgãos de controle, como o Tribunal de Contas da União (TCU), foram procurados antes. “É uma questão de negociação. Estamos fazendo com todo cuidado”.

Questionado sobre o comportamento do crédito durante a crise, ele disse que a Caixa deve ser o único banco do país que aumentou o volume de empréstimos neste ano e que manterá o ritmo em 2017. “A previsão de crédito é igual a deste ano. Nada vai fugir do que estamos fazendo hoje”, afirmou.

 

Fonte: Agência O Globo